Como cativar seu cliente na primeira reunião

Dicas de como se comportar num primeiro contato profissional

Receber um cliente pela primeira vez pode gerar um certo nervosismo e alguma insegurança, é normal. Principalmente para quem está começando.

Cada advogado terá seu estilo, seu temperamento e sua forma de interação, mas algumas dicas são válidas e sempre bem-vindas!

1. Demonstre conhecimento da causa.

Uma boa forma de ganhar a empatia do cliente – e garantir a sua contratação – é demonstrar conhecimento prévio sobre o problema que ele trouxe até você. Assim, antes do encontro estude a matéria e a jurisprudência atual, além de e-mails e mensagens de whatsapp que ele tenha te enviado. Quando for fazer perguntas ao cliente para esclarecer as questões, não deixe claro que é a primeira vez que você lida com assuntos como esse.

Essa demonstração de domínio do assunto e interesse na causa com certeza contribuirá para a formação de uma boa impressão. Porém, lembre de sempre usar uma linguagem acessível. Nada de abusar do juridiquês para tentar impressionar. Utilize uma linguagem de acordo com seu interlocutor.

2. Atenção à linguagem corporal.

Procure sorrir ao receber o cliente, demonstrando estar empolgado com a perspectiva de trabalharem juntos. É indispensável manter contato visual, dar um aperto de mão firme e ouvir atentamente. Demonstre estar satisfeito em trabalhar para resolução dos problemas dele.

3. Pontualidade e cordialidade

Ser pontual demonstra responsabilidade, consideração e organização. Sendo assim, compareça no horário. Valorize o seu tempo e o do cliente.

A cordialidade é uma ferramenta simples para causar uma boa impressão. Siga estes passos: cumprimente o cliente com um aperto de mão firme e tratando-o pelo nome – com a pronúncia correta.

4. Conduza o cliente

Recepcione o cliente e o encaminhe para o local da reunião, mantendo-o perto de você, sem excessos de proximidade, claro. Seja gentil e ofereça água e café, acomode o cliente no ambiente de forma que ele se sinta confortável, e ao final, acompanhe-o até a porta do escritório, elevador ou estacionamento.

Quanto à reunião em si, procure conduzi-la de maneira eficiente, focada e objetiva. Faça anotações referentes aos principais pontos do direito e também aos principais questionamentos do cliente. Importante anotar também ideias que surjam durante a conversa, para não esquecer depois.

Pode acontecer de o cliente se alongar muito na sua narrativa, contando toda a história de sua vida. Não é necessário cortar seu interlocutor, mas quando você sentir que a conversa está se encaminhando para muito longe da questão principal, procure trazer o cliente de volta ao foco. Além disso, tire proveito da narrativa para analisar melhor o perfil do seu cliente.

5. Seja realista

Esse é um ponto fundamental para o estabelecimento de uma relação de confiança com seus clientes.

É normal que o cliente te procure buscando uma resposta sempre favorável à sua demanda, no entanto, cabe a você analisar se o pedido é plausível e está de acordo com a realidade ou não. Assim, seu papel é entender o que seu cliente deseja, mas deixar claro as reais chances de sucesso, qual o tempo para resolução da demanda, as possíveis estratégias e, claro, os gastos do processo, principalmente os honorários. É indispensável tratar essa questão de forma clara e objetiva, desde o começo das tratativas pare evitar qualquer mal entendido depois.

Não deixe que seu cliente crie expectativas irreais sobre o pleito dele. Caso não logre êxito, isso pode abalar a relação de vocês e, assim, ele provavelmente não irá querer manter uma relação de trabalho.

6. Encerre a reunião resumindo os pontos abordados

Ao final do encontro, resuma os fatos conversados. Além do cliente perceber que você estava atento à conversa, essa verificação traz mais segurança para o seu trabalho posteriormente, pois assim você poderá rever se tem todas as informações necessárias sobre o caso.

Deixe claro que estará à disposição para eventuais dúvidas e disponibilize um e-mail, telefone fixo, número de whatsapp, etc.

Outra boa dica é sempre enviar um e-mail ou mensagem agradecendo a oportunidade e a confiança depositadas. Envie neste contato por escrito os principais pontos abordados, as estratégias e o cronograma que você planeja seguir. Assim o cliente terá uma expectativa real do tempo e da demora na demanda, podendo controlar melhor sua ansiedade.

Por fim, nunca presuma a confiança do cliente em você. É papel do advogado – e de qualquer profissional – conquistá-la.

Escrito por: Claudia Calderon
Fonte; Jusbrasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *